Buscar
  • Marcio Nobre

Contabilidade além da apuração de impostos!

Tempo de leitura: 5 minutos

Use e abuse do seu Contador. Você sabe como utilizá-lo bem?

A resposta a esta pergunta é Não e explico o porque neste breve texto. Ao final, ainda dou dicas de como usar melhor este profissional que pode te levar ao sucesso empresarial.

Olá, Sou Márcio Nobre. Tudo ótimo?

Pra quem ainda não me conhece, sou Advogado, Contador, Empresário e amo o que faço. Resolvi criar este blog para compartilhar minha experiência prática obtida com meus negócios ao longo destes 20 anos de trabalho. Espero que gostem!

A Contabilidade é uma das Ciências mais importantes do mundo empresarial, e até quiçá, em nossa vida pessoal. É uma ciência social, portanto, não exata, cujo objeto maior é controlar o patrimônio.

Ela estuda e controla o patrimônio das pessoas (Física ou Jurídica) mediante o registro de todos os atos e transações comerciais. É ainda uma preocupação por registrar acontecimentos futuros, ainda que com algum grau de incerteza, que possam vir a ferir o patrimônio. Neste sentido, em conceito básico, o objeto da contabilidade é o patrimônio no qual corresponde aos Bens, Direitos e Obrigações.

Agora, o objetivo é estudar e controlar as variações ocorridas com o patrimônio, com a finalidade de fornecer informações atualizadas para que os usuários da contabilidade possam tomar suas decisões.

Os usuários podem ser o próprio sócio, um investidor, um fornecedor, um gerente do Banco, o gerente ou administrador da empresa, advogado, enfim, são diversas as pessoas que podem se utilizar das informações contábeis para a tomada da melhor decisão, sendo então extremamente importante sua fidelidade com a realidade.

Tendo em vista o Objetivo da contabilidade, o profissional contábil deve definir a estrutura do Balanço Patrimonial, considerando a normatização contábil, para aprimorar a capacidade informativa para os usuários das demonstrações contáveis.

Veja que com estes conceitos básicos, podemos verificar que no Brasil, nós contratamos uma contabilidade pensando no Fisco, ou seja, nos preocupamos mais com a apuração Fiscal do que com o principal objetivo da Contabilidade, que é servir de informações gerenciais para melhor gestão do negócio e até mesmo de nossas contas particulares.

O que quero chamar atenção aqui é que nós precisamos e podemos usar melhor o profissional de contabilidade. Se não está entendendo as Demonstrações, chame-o para uma reunião, questione, peça orientação. O ideal é uma reunião mensal para analisar as demonstrações mês a mês, crie esta rotina na gestão da sua empresa!

A seguir alguns pontos de sugestão que poderão ser analisados em reunião com o Contador. Fracione os temas e aos poucos vá investindo tempo nestes assuntos que garanto que ambos sairão ganhando com isso:

  1. Gastos em Excesso – Se existe gastos em excesso em alguma despesa nos relatórios, isso poderá ser facilmente checado ao aplicar índices de análise de relatórios;

  2. Estoque – Se a compra de estoque está adequada com as vendas, pois isso influencia no Fluxo de Caixa;

  3. Formação de Preço – Peça ao Contador para lhe ajudar a formar o preço de Venda de seus produtos ou Serviços. Pode ser que esteja Baixo demais ou Alto demais, e é extremamente importante saber formar o preço;

  4. Regime de Tributação – Se o regime de tributação é realmente o mais adequado, neste caso é importante simular o regime atual com as alternativas possíveis para sua empresa tais como Lucro Presumido, Lucro Real ou SIMPLES NACIONAL, essa análise deve ser feita constantemente com ferramenta adequada, haja vista que a possibilidade de troca do Regime de Tributação é anual;

  5. Remuneração dos Sócios – Se a forma de remuneração dos sócios está adequada considerando o sistema de tributação, conforme nossos posts anteriores, existe o Pró-labore, a Distribuição de Lucros e os Juros sobre o Capital Próprio, assim analise com ele qual melhor forma que menos onere a empresa e os sócios;

  6. Mini Auditoria interna – Revisão dos lançamentos para verificar alguma inconsistência;

  7. Facilidade na Compreensão dos Relatórios – Adequação dos relatórios para facilitar a compreensão para tomada de decisões;

  8. Metas – Elaborar uma projeção futura dos acontecimentos com base nos relatórios anteriores bem como com o projetado no Plano de Negócio da empresa. Isso permitirá definir metas e preços.

  9. P&L – Peça ajuda para elaborar seu demonstrativo resumido de Ganhos e Perdas, conhecido como P&L (Profit and Loss). Isso ajudará a visualizar oportunidades no seu negócio e estabelecer metas em conjunto com sua equipe;

  10. Revisão da apuração dos impostos – questione o que compôs a base de cálculo, veja se está correto, podem haver erros ou interpretações que passam desapercebidos, fazendo com o que os valores sejam pra menor ou para maior. Lembre-se, a Contabilidade não é uma ciência exata.

Se a contabilidade é interna, tal mudança de mindset é relativamente fácil de aplicar, por ser o Contador mais próximo, basta ter disciplina.

Por outro lado, se é Terceirizada, marque uma reunião inicial para explicar como você gostaria de trabalhar e veja se ele possui essa disponibilidade e negocie isso. Tenho certeza de que ele irá gostar de ser assim utilizado, pois se sentirá mais valorizado, enxergando claramente o valor que estará gerando ao seu cliente!

Espero que tenham gostado deste breve relado baseado em minha experiência e de meus clientes, continue nos acompanhando, ótima semana!

#impostos #apuraçãodeimpostos #planejador #planejadorjuridico #patrimônio #impostosnopatrimônio #contabilidade #contabilidadeempresarial

0 visualização

© 2019 por Palombina.

Planejador Jurídico
  • White Instagram Icon
  • White Facebook Icon